Detalhamento dos itens a licitar

O detalhamento do material a ser adquirido é o passo mais importante do pedido, junto com a obtenção dos valores de referência (Pesquisa de Preço), e a que exige maior atenção aos detalhes. A regra é não direcionar marcas, como no exemplo da Figura 1, entretanto, é necessário especificar de maneira suficientemente detalhada para que não vençam itens de desinteresse à administração pública. Há de se tomar cuidado, também, para que o detalhamento não seja restritivo a ponto de inviabilizar propostas, acarretando no desperdício de tempo e recursos da instituição, além da não disponibilidade do material para o fim desejado para as atividades acadêmicas e administrativas.

O DCOM indica a utilização da “Técnica do Mínimo Múltiplo Comum”. Consistiria em buscar as especificações  de três produtos de marcas diferentes que atenderiam perfeitamente à necessidade. Então, selecionar as características menos restritivas para as especificações. Na Figura 2 temos a especificação de um Purificador de Água. Raciocinando de acordo com a técnica, poderíamos pensar que pelo menos um dos três modelos pesquisados possuía um reservatório de água gelada de 2l, os outros dois poderiam ter um reservatório maior. Esta técnica propicia a participação de maior número de fornecedores, aumentando a competição e tendendo a uma aquisição mais vantajosa à administração. Importante lembrar que o detalhamento não deve modificar ou contradizer alguma informação da catalogação.

Como se observa, pode-se colocar o modelo de referência, o que é ilustrativo para a equipe do pregão, considerando que não conhecem necessariamente todos os itens que estão sendo licitados.

O detalhamento será incluído na Planilha de Fornecedores.